English
- +

Os principais tipos de estudos usados em ATS são: 

  • Revisões sistemáticas e metanálises
    Usados para reunir de forma organizada os estudos científicos já existentes sobre um novo tratamento. 
  • Estudos econômicos
    Representados principalmente pelos estudos de custo-efetividade, são usados para definir qual a melhor forma de se empregar os recursos jogos de tiro financeiros de um sistema de saúde para se obter o maior benefício para a população.
  • Ensaios clínicos
    Estudos que comparam a eficácia de uma ou mais tecnologias diretamente em pacientes, em condições controladas.
  • Estudos observacionais
    Usados para avaliar o desempenho dos tratamentos de saúde no mundo real, fora de condições controladas.

Etapas da Avaliação de Tecnologia em Saúde:

  • ETAPA 1
    NECESSIDADE DA SOCIEDADE
    Pacientes e profissionais da saúde demandam novas soluções para um determinado problema de saúde. Quando uma nova tecnologia é lançada os pacientes desejam que ela logo seja disponibilizado no sistema de saúde.
  • ETAPA 2
    O NOVO TRATAMENTO É SEGURO  EFICAZ?
    Para responder a essa pergunta a ATS, primeiramente, se vale das pesquisas existentes sobre a segurança e o desempenho da nova tecnologia.
    Quando já existir evidência científica suficiente para comprovar a segurança e a eficácia da nova tecnologia, a realização de estudos originais geralmente não é necessária. Entretanto, há casos em que faltam evidências científicas que justifiquem o emprego da tecnologia. Nesses casos, a ATS pode conduzir ensaios clínicos ou estudos observacionais que busquem responder ao questionamento sobre a eficácia e a segurança de determinado tratamento.
  • ETAPA 3
    AVALIAÇÃO ECONÔMICA DO TRATAMENTO ESTUDOS DE CUSTO-EFETIVIDADE
    A nova tecnologia é custo-efetivo em comparação às outras opções disponíveis? Quanto custará implementar o tratamento para todos os pacientes que dele necessitam?
    Uma vez que comprovadas a segurança e a eficácia da nova tecnologia, a ATS partirá então para a avaliação econômica. Nessa etapa são desenvolvidos os estudos de custo-efetividade, que indicam se o capital investido na nova tecnologia proporciona tanto benefício para a saúde ou mais do que outras opções para a mesma enfermidade. Caso a relação de custo-efetividade seja favorável à nova tecnologia, será necessário determinar seu impacto orçamentário em caso de implementação.
  • ETAPA 4
    TOMADA DE DECISÃO DO GESTOR DO SISTEMA DE SAÚDE
    Nessa etapa o gestor do sistema de saúde deverá optar pelo financiamento e incorporação ou não da nova tecnologia. Essa decisão deverá ser tomada considerando diversos fatores, como:

       • A demanda da sociedade;
       • Os fatores econômicos e orçamento;
       • Os fatores políticos;
       • Os estudos de ATS.
  • ETAPA 5
    USO DA NOVA TECNOLOGIA DE SAÚDE PELA POPULAÇÃO
    Caso os estudos de ATS tenham sido favoráveis cabe ao gestor a decisão final de implementar a nova tecnologia, baseada na realidade local e necessidades da população específica. O tratamento, então, passará a ser financiado e disponibilizado no sistema de saúde e os pacientes poderão contar com uma nova opção considerada segura, eficaz e economicamente sustentável.