English
- +

O IATS (Instituto de Avaliação de Tecnologia em Saúde) vem desenvolvendo sua atuação na produção de orientações e avaliações críticas de tecnologias em saúde no Brasil. Os resultados se situam na área da pesquisa científica e tecnológica, na formação de recursos humanos e na disseminação do conhecimento, de modo a atender interesses do SUS, medicina suplementar e sociedade como um todo.
Com um grupo de mais de oitenta pesquisadores, o IATS tem representatividade nas Universidades Federal e Estadual de São Paulo, Universidade Federal e Estadual de Pernambuco, Universidade Federal de Goiás, Universidade Estadual do Rio de Janeiro, Universidade de Brasília, Hospital do Coração, Universidade Federal de Minas Gerais e a Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

 

 

MISSÃO

A nossa missão é desenvolver, fomentar e disseminar a Avaliação de Tecnologias em Saúde no Brasil com rigor científico e transparência, auxiliando no processo de tomada de decisão e no uso eficiente de recursos.

O Instituto contribui para a formação de pessoal no campo da Avaliação de Tecnologia em Saúde, visando a evolução das estratégias de gestão na área assistencial. Através dessas ações, o IATS auxilia na redução das desigualdades e no aumento da qualidade da saúde no Brasil.

São objetivos específicos do IATS

  • Desenvolver a pesquisa científica na Avaliação de Tecnologias em Saúde.
  • Estabelecer grupo de pesquisadores com habilidades e capacidade tecnocientífica para executar avaliação plena de tecnologias.
  • Constituir grupo de profissionais qualificados, incorporando aspectos sociais, legais e éticos.
  • Participar no desenvolvimento da rede de apoio às ações de gestão de tecnologias em saúde do Ministério da Saúde e Secretarias Estaduais e Municipais, através de produtos técnicos como relatórios, desenvolvimento de softwares e sistemas informatizados.
  • Contribuir na construção de um pólo nacional de prestação de serviço em avaliação de tecnologia no âmbito das necessidades da sociedade, tanto do ponto de vista do Sistema Único de Saúde quanto da medicina suplementar.
  • Fortalecer as políticas em saúde relacionadas com a incorporação e o monitoramento de tecnologias leves e de maior complexidade. 

VÍDEO INSTITUCIONAL