English
- +

29/05/2019

Guillain-Barré syndrome associated with Zika virus infection in Brazil: a cost-of- illness study

Resenha elaborada pelo pesquisador Henry Maia Peixoto

As epidemias provocadas pelo vírus Zika (ZIKV) têm provocado graves consequências sociais e econômicas devido, especialmente, ao aumento das doenças associadas, com destaque para a Síndrome Congênita e a Síndrome de Guillain-Barré (SGB). O impacto econômico e social das referidas epidemias afetam principalmente regiões pobres e grupos vulneráveis, o que aprofunda as desigualdades sociais e alimenta o ciclo perverso e vicioso estabelecido entre o adoecimento e a piora das condições de vida.

A SGB é uma doença aguda e grave do sistema nervoso provocada por uma reação autoimune, que surge geralmente após uma infecção como a causada pelo ZIKV, ou seja, o sistema imunológico da pessoa ataca os seus próprios nervos provocando uma grave inflamação. A SGB é classicamente caracterizada por fraqueza muscular progressiva que pode apresentar complicações como a paralisia dos músculos respiratórios e arritmias cardíacas, portanto, requer cuidado multidisciplinar e um rigoroso monitoramento das funções cardíaca e respiratória. Estima-se que dentre os doentes cerca de 3% a 7% evoluam para óbito e que dentre os sobreviventes muitos apresentam déficits motores e/ou sensitivos que requerem reabilitação.

No Brasil, foram notificados 215.319 casos de ZIKV em 2016, ano que apresentou um incremento 970 internações por SBG, quando comparada à média de casos dos últimos sete anos sem registro de casos de ZIKV no país (2008-2014). Nesse contexto, estimamos os custos da SGB associada ao ZIKV no Brasil, considerando o ponto de vista do Sistema Único de Saúde (SUS), que incluiu apenas os custos diretamente relacionados ao SUS, e o ponto de vista da sociedade, que além dos custos do SUS, considerou a perda de produtividade devido ao adoecimento e a mortalidade precoce, além dos custos com alimentação e transporte de pacientes e acompanhantes.

Os custos da SGB associados ao ZIKV, considerando as perspectivas do SUS e da sociedade brasileira, corresponderam respectivamente a US$ 3.986.435,23 e US$ 11.997.225,85. Os custos foram calculados com base em dois períodos, o primeiro foi baseado nas infecções sintomáticas causas pelo ZIKV antes do desenvolvimento da SGB (US$ 21.792,04) e o segundo a partir do desenvolvimento da SGB (US$ 11.975.433,81). Entre os diversos itens considerados, merecem destaque o custo do  tratamento com imunoglobulina humana (US$ 3.263.210,50), o custo da perda de produtividade relacionada aos anos potenciais de trabalho perdido devido à mortalidade precoce (US$ 4.398.551,72) e o custo da reabilitação (U$S 3.333.952,36).

Os resultados indicam que SGB associada à ZIKV representa um grave e oneroso problema de saúde pública para o Brasil, com destaque para os custos decorrentes da perda de produtividade seguidos pelos custos relacionados à hospitalização. Os achados do nosso estudo apontam a necessidade de maiores investimentos na prevenção das infecções causadas pelo ZIKV e na assistência prestada aos portadores da SGB.

 

CONHEÇA O ARTIGO

 

Edição: Luiz Sérgio Dibe

Compartilhe: