English
- +

28/02/2017

Mutações de resistência transmitida do vírus da imunodeficiência humana aos antirretrovirais: Prevalência e impacto no desfecho virológico

Resenha elaborada pela pesquisadora  Carina Guedes Ramos

A tese Mutações de resistência transmitida do vírus da imunodeficiência humana aos antirretrovirais: Prevalência e impacto no desfecho virológico foi desenvolvida para identificar a prevalência das mutações de resistência transmitida do vírus da imunodeficiência humana aos antirretrovirais (TDRM) no Brasil e determinar o impacto financeiro que a implantação do teste de genotipagem para detecção de TDRM causaria no sistema de saúde brasileiro.

Foram realizadas duas revisões sistemáticas com metanálise com busca eletrônicas nas bases de dados Medline, Embase, Lilacs e Cochrane CENTRAL (até dezembro de 2015) para avaliar a prevalência de TDRM do HIV no Brasil e avaliar o risco de falha virológica entre pacientes portadores de HIV virgens de tratamento com TDRM, também foi realizado um estudo de impacto orçamentário através de um modelo de Markov.

A estimativa pontual para a prevalência geral de TDRM no Brasil é de 8,9%, comparável às taxas de prevalência observadas em outros países com elevada cobertura da terapia antirretroviral. As evidências disponíveis indicam que as TDRM aumentam o risco de falha virológica entre pacientes portadores de HIV virgens de tratamento. A aplicação universal do teste de genotipagem para casos incidentes de HIV resultaria em um aumento anual aproximado de 22 milhões de reais (5,9 milhões de dólares) para o sistema de saúde público brasileira.

 

A TESE estará disponível em breve.

 


Compartilhe: