English
- +

09/02/2017

The relevance of non-criteria clinical manifestations of antiphospholipid syndrome: 14th International Congress on Antiphospholipid Antibodies Technical Task Force Report on Antiphospholipid Syndrome Clinical Features

Resenha elaborada pela pesquisadora  Mirhelen Mendes de Abreu

Sob o título ‘The relevance of “non-criteria” clinical manifestations of antiphospholipid syndrome: 14th International Congress on Antiphospholipid Antibodies Technical Task Force Report on Antiphospholipid Syndrome Clinical Features’, este artigo traz o resultado de uma força tarefa internacional para a revisão dos critérios de classificação diagnóstica da Síndrome de Anticorpo Antifosfolipídeo (SAF, por sua terminologia em português, ou APS, por sua terminologia em inglês: Antiphospholipid Antibody Syndrome). O processo de classificação da SAF ocorre pela presença de anticorpos antifosfolípides (aPL), em particular os anticorpos anticardiolipina (aCL), anti-beta 2 glicoproteína I (antib2GPI), ou o lúpus anticoagulante (LA). Suas manifestações clínicas estão associadas à trombose de artérias ou veias da microcirculação e/ ou manifestações obstétricas definidas.

Tais critérios de classificação diagnóstica são controversos e não contemplam muitas manifestações observadas com frequência nos diferentes estudos epidemiológicos. Sendo assim, um conjunto de pesquisadores clínicos e de área básica realizou uma força tarefa para avaliar a qualidade das evidências vigentes acerca das manifestações clínicas que não são critérios de classificação diagnóstica. Os objetivos desta força tarefa foram: (1) avaliar os desfechos que foram considerados como não-critérios de SAF, e (2) avaliar a qualidade do conjunto de evidências de cada desfecho a fim de considerar que seja recomendado ou não sua inclusão na revisão dos critérios de classificação diagnóstica.

O sistema GRADE (Grading of Recommendations Assessment, Development and. Evaluation) foi utilizado para avaliar a importância de cada desfecho na perspectiva da prática clínica e a qualidade das evidências disponíveis para cada desfecho. Os resultados mostraram que a análise global do sistema GRADE foi: (a) muito baixo para convulsões, trombose venosa superficial, trombocitopenia, coreia, mielite longitudinal e as situações chamadas de SAF soronegativas. Para os desfechos de nefropatia, lesões valvares e livedo reticular, o GRADE foi considerado moderado.

Os próximos passos desse trabalho incluem o seguimento longitudinal destes pacientes através do registro internacional da doença e subsequente revisão dos critérios internacionais de classificação diagnóstica da doença.

 

Leia o ARTIGO.

 



Compartilhe: