English
- +

24/06/2016

Calories and Cents: Customer Value and the Fight Against Obesity

Resenha elaborada pela pesquisadora  Luciana Bahia

Em maio de 2016, Social Marketing Quarterly publicou online o artigo Calories and Cents: Customer Value and the Fight Against Obesity (doi: 10.1177/1524500416648915 ) produzido pelo grupo de pesquisa sobre obesidade liderado pelo Dr. Denizar Vianna Araujo e pela Dra. Luciana Bahia, do IATS/CNPq e da UERJ. Neste artigo, o primeiro de uma série em desenvolvimento sobre o tema, os autores discutem como a indústria de bebidas e alimentos vêm, cada vez mais, sendo questionada pela opinião pública sobre o seu papel na epidemia da obesidade, considerada pela Organização Mundial de Saúde um dos mais desafiadores problemas de saúde pública global do século XXI 6. Em 2014, o impacto econômico da obesidade no mundo foi estimado em U$2 trilhões por ano. Sua escala só pode ser comparada com os custos associados ao consumo de tabaco e com o impacto econômico causado por violência armada, guerras e terrorismo.

Depois de décadas encorajando o aumento do consumo de produtos com baixo valor nutritivo, representantes da indústria de bebidas e alimentos afirmam que estão comprometidos com a luta contra obesidade. Tal seria evidenciado, por exemplo, por apoio a campanhas de interesse público para o aumento da atividade física e pelo lançamento de alternativas mais saudáveis e porções reduzidas de seus produtos, como versões sem açúcar ou gordura.

A análise das estratégias de marketing, preço e promoção de vendas examinadas pelos autores do artigo revelam que as práticas da indústria continuam a estimular o aumento do consumo de produtos muito calóricos e pouco nutritivos, contribuindo para o aumento da obesidade. Os autores defendem que a indústria necessita rever suas estratégias de criação de valor para o consumidor.

Ao mesmo tempo, apontam ser crucial que consumidores, legisladores e a mídia sejam devidamente educados sobre certas estratégias da indústria, incluindo propaganda e promoções enganosas, que acabam por agravar este grande problema de saúde pública global, a obesidade.

São sugeridas, também, políticas similares as que foram adotadas para desestimular o consumo de cigarros.

Leia o Artigo.



Compartilhe: