English
- +

27/07/2018

Estudo revela impacto econômico da coinfecção TB/HIV

Pacientes com coinfecção de tuberculose e HIV constituem um custo oito vezes maior do que pacientes com HIV e tuberculose latente ou livres da coinfecção. São US$ 1.429,00 por episódio de doença para coinfectados versus US$ 166,00 para o outro grupo. Deste cálculo, estima-se que 73% se referem aos custos indiretos, representando US$ 749,00 apenas em perda de renda pela incapacidade para trabalhar a cada ocorrência da doença, o que demonstra o dano pela carga econômica sobre a sociedade. Os dados recentemente publicados no artigo "The economic burden of tuberculosis and latent tuberculosis in people living with HIV in Brazil: a cost study from the patient perspective" são resultado de tese para conclusão de doutorado da pesquisadora do Instituto de Avaliação de Tecnologia em Saúde (IATS), Noêmia Teixeira de Siqueira Filha, e apontam para a necessidade de fortalecimento das políticas públicas de prevenção e tratamento da tuberculose em pacientes com HIV.

"Diagnóstico precoce de tuberculose em pacientes com HIV, aumento de oferta de tratamento para tuberculose latente em pacientes com HIV, qualificação do fluxo de informações no SUS e remessa de dados à Organização Mundial da Saúde são algumas medidas fundamentais", defende Noêmia. Para a pesquisadora, outras ações poderiam ser analisadas, tais como elaboração de estudo sobre impacto de políticas de transferência de renda para pacientes com coinfecção e desenvolvimento de novos protocolos e métodos diagnóstico para suprir limitações do Gene Xpert Test devido a ausência ou insuficiência de secreção em pacientes com tuberculose e HIV.

O estudo, conta Noêmia, envolveu o Hospital Correia Picanço, o Centro de Pesquisa Aggeu Magalhães e a unidade da Fundação Oswaldo Cruz de Recife (PE), além da London School of Hygiene and Tropical Medicine, da Inglaterra. As atividades tiveram início em janeiro de 2013 e prosseguiram até o final do ano passado. "No estudo de custo-efetividade, desenvolvemos um modelo de análise de decisão, sob a perspectiva do SUS. Já o estudo de custos foi desenvolvido sob a perspectiva do sistema de saúde, dos pacientes e de seus familiares. Aplicamos questionários para coleta de dados sobre as despesas ocasionadas durante o tratamento dos pacientes coinfectados no Hospital Correia Picanco. Os pacientes eram entrevistados em cada consulta. Para avaliar custos sob a perspectiva do sistema de saúde nos aplicamos um mix de top-down and bottom-up", explica a pesquisadora.

Além do artigo citado acima, outros dois papers resultaram em publicações sobre o estudo: "Cost of tuberculosis diagnosis and treatment in HIV patients: a systematic literature review", publicado na Value in Health, em novembro de 2017; e "The economic burden of HIV and TB/HIV co-infection in a middle-income country: a costing analysis alongside a pragmatic clinical trial in Brazil",  publicado na Sexually Transmitted Infections, em fevereiro de 2018.

Noêmia (foto abaixo) revela que o estudo epidemiológico terá prosseguimento, sob a liderança da Professora Doutora Maria de Fátima Pessoa Militão de Albuquerque, pesquisadora do IATS na Fiocruz de Pernambuco. "O trabalho de custo-efetividade mostra resultados parciais do primeiro ano do ensaio clínico. "O modelo final ainda aguarda consolidação dos dados para ser rodado novamente até o final do ano. Novos estudos e desenhos epidemiológicos devem abordar a temas como utilidade de programas para transferência de renda para pacientes com coinfecção e novos métodos diagnósticos e de tratamento para infecção latente.

LEIA ARTIGOS:

1) The economic burden of tuberculosis and latent tuberculosis in people living with HIV in Brazil: a cost study from the patient perspective.

2) Economic burden of HIV and TB/HIV coinfection in a middle-income country: a costing analysis alongside a pragmatic clinical trial in Brazil.

3) Cost of Tuberculosis Diagnosis and Treatment in Patients with HIV: A Systematic Literature Review.

 

Texto e edição: Luiz Sérgio Dibe