English
- +

28/11/2017

Como constituir uma organização de ATS Hospitalar

IATS News traz, nesta 82ª edição, uma entrevista especial com o pesquisador e professor da Universidade Católica do Sagrado Coração, da Itália, Marco Marchetti. Ele é considerado um dos principais articuladores, na Europa e no Mundo, da adoção de práticas de Avaliação de Tecnologias em Saúde para o ambiente hospitalar. Marchetti teve participação destacada no HTAi 2017, ocorrido em junho, na cidade de Roma. Nele, apresentou ideias que inspiram pesquisadores do Brasil e de outras nações que buscam avançar estágios de desenvolvimento neste campo de ciência e formulação de políticas em Saúde.

Mais tarde, convidado para integrar os debates no evento "Evidência em Saúde: o valor da informação da ciência à tomada de decisão", ocorrido nos dias 16, 17 e 18 de novembro em Porto Alegre, o professor Marchetti voltou a defender que a adoção de iniciativas de ATS Hospitalar decorre, inicialmente, do comprometimento com uma "estratégia". Posteriormente, será consequência do emprego de evidências científicas e recursos humanos capacitados para aplicar o conhecimento nestas atividades.

O tema, para o IATS, é precioso, já que o INCT trabalha na elaboração da primeira Diretriz de ATS Hospitalar para o país, sob encomenda do Ministério da Saúde, através do Programa de Apoio ao Desenvolvimento Institucional do Sistema Único de Saúde (Proadi/SUS), sob a gestão executiva do Hospital Moinhos de Vento. O produto, em breve, será apresentado à sociedade. Por enquanto, aprecie o tema pelas palavras do professor Marco Marchetti. Boa leitura!

 

IATS News - Quais os principais desafios para implementação de uma estrutura de ATS Hospitalar?

Marchetti - Diferentes desafios. Primeiro, definir quais as necessidades a serem respondidas. As atividades terão diferentes significados em diferentes momentos. Há atividades relacionadas à percepção da organização e à gestão da organização. Há necessidades nas quais, provavelmente, você irá falhar. Em seguida, você precisa ter comprometimento. Você precisa estar comprometido com a gestão da organização. Isso é estratégico, é importante para a organização. Do contrário, a probabilidade de que você irá falhar é muito alta. Em terceiro, um ponto crítico é o que se refere à capacidade de criar comissões, de convencer, de explicar que ATS Hospitalar não vem contra, mas a favor da organização. Tem como objetivo facilitar o trabalho e, ao mesmo tempo, manter a possibilidade de ter um sistema sustentável do ponto de vista econômico.

 

IATS News - Quais vantagens, do ponto de vista econômico, decorrem da implementação de uma estrutura de ATS Hospitalar?

Marchetti - Do ponto de vista econômico, o objetivo final da atividade de uma estrutura de ATS em um hospital é aumentar a eficiência no que se sobre onde os recursos são utilizados. Isso não significa que você tenha que reduzir custos como objetivo principal. Você tem que utilizar melhor o dinheiro que você possui. Então, esta atividade será capaz de alocar melhor os recursos. Eu posso dar um exemplo baseado em minha experiência na Itália: nós tivemos redução de custos como produto das decisões da comissão de ATS, na ordem de 4% a 5%. Nós estamos falando de um milhão de Euros a menos em custos num período de um ano. Mas talvez o que você deva transmitir à comissão é que você não irá reduzir custos. Você tem um orçamento e fará uma utilização mais qualificada dele.

 

IATS News - Como o senhor descreve o atual patamar de desenvolvimento de ATS Hospitalar na Europa e o que as nações latino-americanas podem aprender para atingir melhores resultados?

Marchetti - Eu acredito que o que nós vamos aprender com a Europa é, na verdade, uma consciência de que nós precisamos criar um complexo maior e mais integrado das atividades de ATS em hospitais. Principalmente, que estas atividades foram iniciadas, na Europa, por iniciativa de alguns hospitais. Inicialmente, elas não apareciam em um cenário maior. Acreditamos que, para o futuro, precisamos desenvolver uma conexão desta informação entre os hospitais e o governo central, porque nós temos que diferenciar as atividades de ATS Hospitalar em nível hospitalar das atividades de nível central. Política é o objetivo em nível central e gerenciamento é o objetivo em nível hospitalar.

 

IATS News - Que tipo de abordagem pode transferir as ideias fundamentais originadas no campo da pesquisa para o campo da gestão e da tomada de decisão?

Marchetti - Esta é uma pergunta interessante, pois a "cavalaria" pode ir a um encontro em qualquer língua com este resultado. Um político utiliza 7 mil palavras e você usa mil palavras a mais, então você tem a necessidade de traduzir e simplificar a mensagem. Eu creio que o ponto chave das atividades em qualquer nível é a capacidade de transmitir a mensagem central e, para fazer isso, há uma estrutura de trabalho a ser usada em diferentes países. Canadá é um exemplo sobre como transmitir a mensagem central dentro da mensagem política. Eu acho que pessoas interessadas em ATS Hospitalar tem a responsabilidade de coordenar a transmissão da informação e deveriam aperfeiçoar a capacidade de simplificar e transmitir a mensagem central.

 

IATS News - Qual seu conselho para um hospital, por exemplo, iniciar-se nessa cultura de ATS?

Marchetti - Vou tentar resumir... Acredito que depois que você adquire o comprometimento, que é o primeiro passo, há um passo relacionado a pensar estrategicamente onde você quer chegar em cinco anos, projetar atividades e constituir uma equipe capacitada. Vejo que o maior problema hoje é encontrar pessoas capazes de desempenhar atividades de ATS Hospitalar de uma forma muito transparente e competente. O terceiro ponto é: pessoas capazes de transmitir os resultados. Aqueles que não se sentem capazes de divulgar e difundir os resultados de seu trabalho não representam nada para o desenvolvimento da atividade.

 

IATS News - Então, a mensagem é começar pela formação de recursos humanos?

Marchetti - Sim, mas antes dos recursos humanos, você tem que tentar estabelecer uma estratégia de implementação, porque não basta você aumentar a capacidade de produzir avaliações. Não basta ampliar os recursos investidos na produção de metanálises, análises econômicas, etc. É preciso aumentar a capacidade de transferir os resultados da produção e, para isso, você terá que aumentar o conjunto de pessoas capacitadas para exercer estas atividades. Tente entender onde você quer chegar e quais são as pessoas capazes de fazê-lo para além da organização. Você pode construir a organização rapidamente, mas para implementar as competências necessárias você precisará de cinco ou seis anos.

 

TEXTO E EDIÇÃO: Luiz Sérgio Dibe

APOIO CIENTÍFICO: Luciane Cruz (Hospital Moinhos de Vento/IATS) e Fernanda Rodrigues (IATS)

FOTOS: Fabiano Panizzi