English
- +

15/05/2017

IATS reuniu especialistas em Microcusteio em workshop

FOTO: Pesquisadores (D/E) Alfredo Palacios, Paul McCrone, Carisi Polanczyk, Ulises Garay e Luciane Cruz (de pé)

FOTO: Pesquisadores (D/E) Alfredo Palacios (IECS), Ulises Garay (IECS), Carisi Polanczyk (IATS/UFRGS), Paul McCrone (King`s College) e Luciane Cruz (IATS/HMV)

Pesquisadores e profissionais da gestão em Saúde concluíram na última sexta-feria a capacitação "Microcusteio aplicado a Avaliações Econômicas em Saúde", a qual teve como objetivo aperfeiçoar a proposta de Diretriz de Microcusteio em Saúde. A atividade foi promovida pelo Ministério da Saúde e pelo Hospital Moinhos de Vento, por meio do Programa de Apoio ao Desenvolvimento Institucional do Sistema Único de Saúde (Proadi-SUS), em parceria com o Instituto de Avaliação de Tecnologias Saúde (IATS/UFRGS), cujos pesquisadores trabalham na elaboração da diretriz.

Para a coordenadora-geral do IATS, Carisi Anne Polanczyk, a proposta de definição de diretriz representa a busca para o estabelecimento do uso racional dos recursos e da tomada de decisões baseada em evidências científicas. "O Brasil é um país imenso. Somos muito heterogêneos na aplicação dos conceitos sobre análises econômicas. Quanto mais fortes e transparentes formos nesta área, mais próximos dos principais objetivos da Saúde nós estaremos", descreveu a professora.

Carisi destacou que um dos grandes desafios para a qualificação das avaliações econômicas é a análise dos custos. "Esta demanda surgiu por iniciativa do Ministério da Saúde como um proposta de tentar transformar a teoria e os conceitos em aplicabilidade prática para definição de normas e políticas para a gestão e os serviços de Saúde no Brasil", explicou.

O evento, que contou com participantes do governo brasileiro, pesquisadores e gestores, além de convidados internacionais, teve como meta instrumentalizar os participantes com conceitos intermediários e avançados para a aplicação da abordagem de microcusteio na identificação de custos e sua utilização nas avaliações econômicas de novas tecnologias. Entre os palestrantes convidados, entiveram presentes Paul McCrone, diretor do Centro de Economia da Saúde Mental e Física do King`s College London; Alfredo Palacios, professor de Economia, e Ulises Osvaldo Garay, professor de Economia do mestrado em Eficácia Clínica, ambos integrantes do Instituto de Efectividad Clínica y Sanitaria da Universidade de Buenos Aires.

Segundo a pesquisadora Luciane Cruz, que coordena projetos de ATS no Escritório de Projetos de Educação e Pesquisa Proadi-SUS do Hospital Moinhos de Vento, "profissionais da assistência, pesquisa ou gestão têm enfrentado cada vez mais o desafio da necessidade de incluir o componente econômico nas suas decisões frente à diversidade de intervenções disponíveis para diagnosticar, tratar e prevenir doenças na população. Como na maioria das vezes o conhecimento na área da Economia não faz parte da formação desses profissionais, é fundamental instrumentalizá-los sobre tais conceitos", avaliou. 

A atividade integrou o esforço do Ministério da Saúde e das instituições parceiras para que as decisões relacionadas a intervenções na promoção da Saúde da população sejam baseadas em critérios que levem em conta não só os benefícios alcançados, mas também os custos envolvidos. Estimar o custo real de estratégias para cuidar da Saúde da população é, conforme o Ministério, uma tarefa essencial para a meta da atenção em Saúde ser alcançada.

O Proadi-SUS é um programa criado com a finalidade de contribuir para o desenvolvimento institucional do SUS por meio de intervenções tecnológicas, gerenciais e capacitação profissional. A contribuição proporciona novos conhecimentos e práticas a partir da parceria do Ministério com instituições de reconhecida excelência.

 

Edição: Luiz Sérgio Dibe