English
- +

17/03/2010

A ATS na manutenção do combate à Aids

O resultado do boletim epidemiológico Aids/DST 2010, divulgado em 1º de dezembro pelo Ministério da Saúde, reforça tendência de queda na incidência de casos de Aids em crianças menores de cinco anos. Comparando-se os anos de 1999 e 2009, a redução chegou a 44,4%. O resultado confirma a eficácia da política de redução da transmissão vertical do HIV (da mãe para o bebê). Mas, em relação aos jovens, pesquisa inédita aponta que, embora eles tenham elevado conhecimento sobre prevenção da Aids e outras doenças sexualmente transmissíveis, há tendência de crescimento do HIV.
 
Segundo a pesquisadora do IATS, Helena Barreto dos Santos, os avanços no controle da doença no país são inquestionáveis, fruto de uma política estruturada com qualidade pelo Departamento de DST- AIDS- Hepatites Virais do Ministério da Saúde e do acesso universal ao TARV.  Mas quando se observa a tendência de crescimento dos casos de infecção em jovens e considerando-se a constante oferta de novos esquemas de Terapia Antiretroviral (TARV), as Avaliações de Tecnologia em Saúde se fazem essenciais no processo de cura.

- Percebe-se que as avaliações econômicas são fundamentais no contexto do tratamento dos pacientes com HIV/AIDS, não só para comparar as alternativas de esquemas de TARV para o tratamento da infecção, mas principalmente podem ajudar a responder questões tais como: qual o melhor momento para início do tratamento, a avaliação de diferentes parâmetros clínicos e laboratoriais, as estratégias de prevenção da transmissão e o impacto do diagnóstico e tratamento precoce da infecção na redução da transmissão do vírus.

Em consonância com o papel que as avaliações econômicas vêm desempenhando para o manejo da doença em outros locais do mundo, o IATS já está desenvolvendo com o Departamento de DST-AIDS-Hepatites Virais do Ministério da Saúde projetos de ATS, que possam responder a algumas das questões relacionadas ao tratamento, afirma Dos Santos. “As pesquisas em Avaliação de Tecnologia em Saúde serão valiosas para a manutenção do sucesso que vem sendo obtido no país no combate à Aids”- enfatiza.

Na cerimônia de lançamento da campanha deste ano, o Brasil recebeu o Prêmio do Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV/AIDS para a Liderança, concedido pelo Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV/AIDS – UNAIDS. O Brasil é um dos poucos países em desenvolvimento com acesso universal público ao tratamento da infecção pelo HIV. No Brasil, cerca de 200.000 pacientes com infecção pelo HIV recebem Terapia Antiretroviral (TARV) e são acompanhadas em Serviços de Assistência Especializada (os SAE) e laboratórios de referência.

 

Jornalista: Bruna Repetto