English
- +

13/02/2015

Como escolher o periódico para o seu artigo

Nos vários anos de colaboração com pesquisadores, é evidente que algumas pessoas conseguem completar seus projetos enquanto outros não conseguem passar da primeira semana. Neste artigo constam sugestões que os orientadores costumam passar e que tendem a ajudar:
 
Publicação como moeda de troca para avaliação da produtividade
Atualmente, sabemos que a quantidade (e qualidade) de publicações é a principal forma de se medir produtividade e impacto de um pesquisador no cenário brasileiro, e em boa parte de outros países também. No Brasil, publicações são notoriamente tomadas como pontuação para concursos que avaliem rendimento científico (residências, provas de mestrado e doutorado, concursos públicos para universidades, entre outros). Mas a situação fica ainda pior na avaliação de professores que já fazem parte de um programa de Pós-Graduação. O valor atribuído a publicações não acompanha o mesmo rítmo de evolução que o ponto de corte para ser qualificado a vagas de mestrado e doutorado. E, principalmente, para se manter no programa. Portanto, a regra é publicar, publicar e publicar. Apesar de que esse racioncínio nem sempre é o mais importante, isso vai gerar perguntas em relação a quantidade versus qualidade.
 
Pontuação para publicações - Qualis e áreas de avaliação
Existem diversas formas de mensurar a qualidade de um periódico ao escolher onde submeter o artigo em que tanto trabalhamos e dedicamos horas. Aparte dos fatores Hs, JCRs ou inciadores Scimago, o Brasil opta por manter seu próprio critério de avaliação, o Qualis. Este critério avalia os perídicos em 7 pontos vairando da letra D até a letra A, com subclassificações. Contudo, um artigo A1 para a área da medicina não se refere à mesma avaliação na área da Psicologia, por exemplo.
Cada artigo é pontuado de acordo com a sua área de avaliação na CAPES. Cada área define seus próprios critérios de avaliação, com critérios específicos. Esse dado é importante porque na hora de escolher a revista em que se vai publicar, é importante estar atento para a classificação daquela revista para a área específica de avaliação de interesse. Para exemplificar, se eu faço parte de um programa de Pós-Graduação da área interdisciplinar, o periódico Psicologia em Estudo tem uma avaliação de A2. Mas se eu precisar que esse mesmo artigo conte pontos para uma seleção num concurso da área de Medicina I, sua avaliação será B4, o que é bastante inferior. 
Para verificar o Qualis de cada revista, é só acessar o site do Sistema Webqualis e procurar por título de periódico, área ou ISSN.
 
Além do Qualis -  Fator de Impacto, Fator H e outros indicadores
No entanto, para quem almeja alcançar produtividade internacional, o Qualis não é tão importante porque a maioria dos periódicos internacionais são bem avaliados pelo Qualis. Internacionalmente, vale mais observar outas medidas como o Fator de Impacto, Fator H ou H-index, JCR ou Journal Citation Reports, e Scimago, que é uma espécie de observatório de qualidade de publicações mundiais.
Somente a critério de curiosidade, esses indicadores levam em consideração a quantidade de citações do artigo, da revista ou alguns cálculos que tentam indicar o impacto da revista em diferentes formas (essa discussão fica para outro texto). Diversas críticas são feitas aos indicadores, portanto verifique mais de um ao escolher sua revista.
 
Periódicos de livre acesso - Open Source
Uma tendência nova que vem surgindo para a publicação de resultados científicos é a de períodicos de livre acesso, chamados Open Source. Esse journais, ao invés de funcionarem como periódicos, aparecem mais como repositórios online de artigos. Em geral, não tem versão impressa, soltam artigos sem uma periodicidade e cobram mais caro pela publicação para manter o conteúdo aberto ao acesso. São opções importantes na hora de submeter seu artigo, principalmente se sua pesquisa for planejada num viés sustentável, ou seja, com financiamento (externo ou interno) que permita a submissão neste tipo de revista. A Plos One é um exemplo e que tem obtido bastante sucesso.
 
Além da publicação - Companion Sites e Open Design
Apesar das diversas abordagens para se escolher um periódico para a submissão do seu artigo, gostaria de chamar a atenção para outra forma de publicação que pode complementar seu paper e ao mesmo tempo abrir diversas oportunidades. Estou falando do que chamamos nos nossos cursos de "Companion Sites". Companion Sites são plataformas web (websites com alguns elementos a mais como gráficos dinâmicos de seus resultados), que agregam informações sobre o seu projeto que não é possível inserir em apenas um manuscrito.
Digamos que você optou por utilizar um protocolo de pesquisa reprodutível (algo que incentivamos muito em nossos cursos), seu Companion Site seria um repositório que todos os leitores procurariam para encontrar seu banco de dados, figuras, apêndices e outras informações que não entraram no seu artigo.
Além disso, ali você também disponibiliza informações pessoais, CV, outros projetos, etc. De fato, nós também sugerimos que utilize o que chamamos de Open Design, que permite aumentar sua colaboração de pesquisa e produtividade (assunto para outro texto também). Falarei mais sobre isso em outros textos, mas queria atraí-los para a idéia de ampliar o alcance dos seus estudos para além da publicação em periódicos.
 
Escolher bem antes de enviar
Algumas dicas para escolher bem a revista antes de mandar o artigo:
1. Definir uma revista que publique assuntos parecidos com o do seu artigo. Para tanto, entre na revista e verifique se ela costuma publicar artigos quantitativos, por exemplo.
2. Veja qual é a sua audiência para este artigo. A idéia com a publicação não é apenas alcançar o melhor Qualis, precisamos pensar também quem queremos que leia nossa publicação. Principalmente se a idéia é ser citado porteriormente. Por isso, uma boa pedida são os jornais Open Source, mas, às vezes, compensa mais publicar em português do que em inglês.
3. Alguns sites te ajudam a definir quais revistas tem publicado assuntos semelhantes ao seu, facilitando o acesso. Um deles é o Journal/Author Name Estimator (JANE), da Biosemantics. Esse site te permite inserir seu abstract (em inglês) e encontrar revistas/artigos semelhantes ao seu, facilitando sua escolha.
4. Aim High é uma dica que pode parecer ingênua, mas quando você tenta publicar em uma revista que pode parecer superior à qualidade do seu estudo, no mínimo você receberá uma revisão externa ao seu trabalho, que contribuirá para a melhora do mesmo. Aim High é diferente de ser sonhador!
 
"Also it is a good idea to read previous issues of the journal so as to get a feel of what it is we publish".
 
João Ricardo Nickenig Vissoci  é formado em psicologia e atua com modelagem de variáveis latentes e análise de dados.
 
 
 
Edição: Luiz Sérgio Dibe