English
- +

08/09/2014

Mulheres cardiopatas não fumantes tem maior sobrevida

O bolsista pesquisador do IATS, Tiago Oliveira de Aguiar, apresentou seu poster sobre o trabalho "Sobrevida de pacientes acompanhados no ambulatório de cardiopatia isquêmica do Hospital de Clínicas de Porto Alegre", durante a 34ª Semana Científica do HCPA.

O estudo analisou a sobrevida em 15 anos de acompanhamento; a diferença da sobrevida entre sexo masculino e feminino; as faixas etárias com melhores e piores inidices de sobrevida; e o impacto na sobrevida que o diabetes melito e o tabagismo exercem na sobrevida a partir de um banco de dados formado entre 1998 e 2013, com pacientes do ambulatório de cardiopatia isquêmica.

Os resultados, demonstrados por Tiago, apontaram menor sobrevida nas pessoas que tinham mais de 80 anos, maior sobrevida no grupo do sexo feminino, e maior sobrevida naqueles paciente que não fumavam em relação aos tabagistas.

 

Edição: Luiz Sérgio Dibe