English
- +

02/10/2013

Pesquisador apresenta manual para publicar em revistas de alto impacto

Pesquisadores brasileiros poderiam publicar mais trabalhos em revistas internacionais de alto impacto. É o que defende o médico e pesquisador do INPD, Ricardo Pietrobon, 42 anos, que atualmente trabalha na Duke University (Carolina do Norte/EUA). Para ajudar na tarefa, ele desenvolveu um breve manual de dicas, as quais auxiliam na identificação de problemas e indicam possíveis soluções.

 
Para Pietrobon, o Brasil tem obtido crescimento expressivo na quantidade de publicações em revistas internacionais. Contudo, segundo ele, críticos apontam que a maior parte dessas publicações ocorrem em revistas de baixo impacto. "Acredito que esses sejam estágios naturais no desenvolvimento da pesquisa nacional. Para aumentar o impacto das publicações, creio que os próximos passos sejam criar uma boa infraestrutura de pesquisa - com recursos necessarios para produção de pesquisa de alta qualidade - e também prover pesquisadores iniciantes com bom treinamento para que eles possam estabelecer foco em projetos de alta qualidade", avalia.
 
Entre as abordagens, o autor sugere soluções para problemas como "não focar em uma verdadeira lacuna na literatura"; "não focar em problemas que possam ser generalizados para além do Brasil"; "não seguir as normas internacionais sobre como reportar um artigo utilizando uma determinada metodologia".
 
O pesquisador revela que teve a ideia de produzir o manual depois de atuar como orientador e co-autor em diversos trabalhos e perceber que há padrões de problemas neles. Pietrobon afirma que, como em qualquer outra atividade, a pesquisa científica necessita de mentores que possam passar aos seus estudantes sugestões sobre praticas que levem a produtos eficientes. "A chave, eu acredito, é que essas práticas devam ser aplicadas a problemas que afetem a população brasileira, utilizando metodologias que levem a informação a ser aplicada na prática, não apenas no Brasil, mas em todo do mundo", define.
 
Confira o texto na íntegra.
 
Texto e edição: Luiz Sérgio Dibe