English
- +

09/08/2011

O combate ao fumo recebe maior investimento e iniciativa do governo

No Brasil morrem cerca de 200 mil pessoas todos os anos devido ao tabagismo. O câncer de pulmão é um dos mais importantes indicadores do impacto do fumo sobre a saúde, é o tipo de câncer que mais mata homens e o segundo que mais mata mulheres.

Visando ações efetivas no combate a esse problema de saúde pública o Ministério da Saúde – por meio do Instituto Nacional do Câncer (INCA) – criou o Observatório da Política Nacional de Controle do Tabaco, uma página online que permite que gestores, profissionais e toda a sociedade acompanhem a adoção das políticas governamentais e tenham acesso a pesquisas, publicações, legislação e outras informações sobre o controle do tabagismo. Além disso, o tratamento para pessoas que querem parar de fumar – disponível no Sistema Único de Saúde (SUS) – terá acréscimo de 63% em seu orçamento comparado ao ano passado.

O médico oncologista do Hospital de Clínicas de Porto Alegre e pesquisador do IATS, Guilherme Geib, conversou com a IATS News sobre o tema.

IATS News - O que os gestores de saúde devem saber sobre os efeitos do uso da nicotina e ações preventivas na área?

Guilherme Geib - Os gestores precisam ter consciência de que o tabagismo é um importante agravo em termos de saúde pública, responsável direta ou indiretamente, por milhares de mortes a cada ano. Devem ainda saber que a dependência à nicotina é uma doença para a qual existe tratamento efetivo, disponível no SUS. O Observatório é um espaço onde os gestores podem obter informações atualizadas que auxiliem o entendimento sobre o assunto e à tomada de decisões.

IATS News - O câncer ainda é a principal doença decorrente? Que benefícios o ex-fumante e fumantes passivos podem esperar em relação à prevenção de enfermidades relacionadas?

GG- É importante ressaltar que uso do tabaco está relacionado com a ocorrência de doenças cardiovasculares (infarto, acidente vascular cerebral), diversos tipos de câncer (pulmão, cavidade oral, esôfago, pâncreas, bexiga, etc) e doenças respiratórias crônicas. Hoje, no Brasil, as doenças cardiovasculares e o câncer representam as principais causas de morte dentre as doenças crônicas. O tabagismo, isoladamente, é responsável por cerca de 30% das mortes evitáveis por câncer. Todo indivíduo que abandona o hábito de fumar tem uma significativa redução no risco de desenvolver as doenças relacionadas ao seu uso anteriormente mencionadas.

IATS News - Qual a importância do Observatório da Política Nacional de Controle do Tabaco para informar a população e prevenir doenças decorrentes do tabagismo?

GG- O Observatório da Política Nacional de Controle do Tabaco objetiva organizar e disponibilizar à sociedade informações sobre a implantação da Convenção-Quadro para Controle do Tabaco no Brasil. Essa convenção, é um tratado internacional de saúde pública liderado pela Organização Mundial de Saúde visando combater a epidemia do tabagismo a nível mundial, tendo entrado em vigor no Brasil em caráter de política de Estado a partir de 2005. O Observatório traz transparência ao processo e dados científicos que auxiliam na conscientização da população e dos gestores sobre a importância do tema.

IATS News - O que significa este acréscimo no orçamento destinado ao tratamento para parar de fumar disponível no SUS? O sistema está funcionando melhor?

GG - O acréscimo de cerca de R$ 18 milhões no orçamento destinado ao controle do tabagismo no Sistema Único de Saúde reflete o empenho do governo brasileiro em lidar com este importante problema de saúde, dentro da Política Nacional do Controle do Tabaco. A população certamente já está mais consciente dos malefícios do cigarro, como resultado das campanhas veiculadas na mídia. Ainda assim, persistimos com altos índices de prevalência do hábito de fumar. Apesar dos avanços conquistados nos últimos anos, com a disponibilização de tratamento para a dependência à nicotina pelo SUS, ainda temos o desafio de melhorar o acesso da população a tais programas.

IATS News - Quais ações contra o tabagismo ainda são necessárias?

GG -Trata-se de um problema tão complexo, que certamente diversas ações, em diferentes níveis, ainda são necessárias. Destacaria que um adequado programa de educação de crianças e adolescentes a respeito de hábitos de vida saudável, dentre eles o de não fumar, certamente seria uma das medidas com resultados mais sólidos a longo prazo.

O acesso ao Observatório pode ser feito no link www.inca.gov.br/observatoriotabaco



Jornalista responsável: Bruna Repetto